A Representação de São Benedito nas Toadas do Tambor de Crioula

  • Baltazar Macaíba de Sousa
  • Daniel Suani Pereira Araújo
Palabras clave: coreiras, ladainhas, dança, santo

Resumen

O trabalho versa sobre a representação de São Benedito nas músicas populares (toadas) do Tambor de Crioula. Dança de um sensualismo extremo, que traz em suas canções manifestações explícitas de celebração e referência a um santo do catolicismo. A pesquisa bibliográfica sobre o catolicismo popular e o Tambor de Crioula foi a principal técnica utilizada; procedeu-se, de igual modo, a coleta de documentos: livros, vídeos e entrevistas; pautou-se também pela a observação participante. Constatou-se que São Benedito é um santo referenciado e apresentado como protetor e padroeiro do Tambor, embora não tenha um calendário definido para as apresentações da dança em sua homenagem; a dança às vezes inicia com ladainhas (cantos tipicamente da tradição católica para louvar a Deus e Santos) incorporadas nos batuques do Tambor de Crioula para celebrar São Benedito, o protetor dos negros. O estudo, ainda, permitiu a compreensão de algumas características do catolicismo popular no Tambor de Crioula: pagamento de promessas, toadas enaltecedoras de São Benedito como “grande padroeiro”, o papel propositivo da mulher como uma das razões da dança. Conclui-se que há uma representação nos cantos do Tambor de Crioula de São Benedito como o santo protetor das coreiras e dos brincantes, revelando um dos traços do catolicismo popular, no qual o controle oficial da Igreja está ausente e o povo reinterpreta o sagrado a seu modo - dançando, cantando, bebendo e divertindo-se com erotismo e requebrado das coreiras, sendo a punga o apogeu da dança.

Publicado
2020-10-27
Cómo citar
Baltazar Macaíba de Sousa, & Daniel Suani Pereira Araújo. (2020). A Representação de São Benedito nas Toadas do Tambor de Crioula. RELEN, 2(2). Recuperado a partir de https://relen.net.ar/index.php/RLN/article/view/28